DISCOGRAFIA //// BIO //// AGENDA ////
 CONTATO //// FACEBOOK //// YOUTUBE

terça-feira, 29 de maio de 2012

Diário de gravação: Medo da cidade

 

Resolvi criar esse post, porque muita gente apareceu pra me perguntar como foi o processo de produção e de gravação do disco Medo da cidade (Clique e ouça). Então resolvi contar como funcionou, que equipamento, instrumentos e softwares foram usados para esclarecer todas essas dúvidas.

1. Captação:

O grande segredo desse disco, creio eu, está nesse tópico. O disco inteiro foi gravado dentro do meu quarto, em um ambiente que não foi preparado pra isso, de certa forma as proporções do quarto ajudaram um pouco na questão reverb. O microfone utilizado para captação foi o C1U da Behringer (foto), que consiste em um mic condensador com saida usb, modelo muito utilizado para podcasts e coisas do gênero.

DSC_8222

 Informações do fabricante:

“O C1U possui uma cápsula com característica de captação cardióide e é ideal para gravação direcional de instrumentos, canto individual ou de voz.
Característica cardióide significa que o som é gravado sobretudo pela frente. Na maioria das situações de gravação é dada preferência a esta característica direcional,uma vez que é possível suprimir o som indesejado proveniente da parte de trás.
A alimentação de energia é feita através da interface USB interna. O LED proporciona-lhe uma perspectiva rápida da ligação do C1U com o computador.”

2. Instrumentos

Todas as trilhas intrumentais do disco foram gravadas com um violão Hofma jumbo modelo YE 223 com encordoamento Elixir 0.11, já na faixa “Agroblues” usei uma viola Giannini afinada em G aberto, com encordoamento Elixir 0.10 para violão de 12 cordas.

DSC_8218Na parte de harmônicas, usei um kit de gaitas do modelo Free blues da marca hering.

255102_4 3. Produção

O software escolhido para captação e equalização das trilhas foi o Reaper. Programa muito intuitivo, multi-pistas, suporta plugins VST, e o melhor de tudo, é gratúito. Na falta de monitores de referência, utilizei fones auriculares, normalmente usados em mp3.MDR-E9A_Preto_2Queria deixar bem claro que minha intenção com esse post não é depreciar o trabalho de produtores musicais, muito menos de estúdios. A realidade é, que para muitos que vivem numa situação parecida com a minha (longe das capitais e sem grande capital para investir), fica muito difícil encontrar uma maneira com baixo custo para uma produção ao menos apresentável de seu trabalho musical. Sendo assim, espero ter ajudado a esclarecer algumas dúvidas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...