DISCOGRAFIA //// BIO //// AGENDA ////
 CONTATO //// FACEBOOK //// YOUTUBE

terça-feira, 26 de junho de 2012

A tal da fórmula mágica na música independente.

 
O texto a seguir é um pouco diferente das coisas que eventualmente posto no Sessão Sonora. Muito se fala sobre a melhor maneira de gerenciar uma carreira musical dentro do mercado independente. Bem, se você chegou até aqui, para desvendar essa tal fórmula mágica, já vou te adianto que caiu na "pegadinha", mesmo porque, se eu tivesse tal fórmula, estaria nesse momento nadando em grana e vendendo ela pra vcs. Esse artigo consiste mais em algumas dicas, e em certas "chacoalhadas", baseadas em alguns acertos e erros (mais erros que acertos) que tive até então na divulgação do meu trabalho.
A escolha do repertório: Covers X autorais
O difícil combate na hora de se fazer um setlist entre músicas de outros artistas e as composições próprias, muitas vezes acabam desgastando o humor e a paciência de uma banda ou até de um artista solo. O que me parece muito mais funcional, é montar um repertório flexível, se o tempo de apresentação é de 1 hora, faça um setlist de 1 hora e 40 minutos com todo o teu material autoral e de covers. Assim você tem a liberdade de sentir a "temperatura" do público que está te assistindo, podendo selecionar o melhor momento para apresentar aquela música que você compôs com tanto carinho. Aconselho, nunca deixar passar batido uma apresentação sem pelo menos uma música autoral. Quanto aos covers, são importantes sim, ainda mais se você está no começo da sua "carreira" assim como eu, e precisa colocar algum material que já é conhecido do público, mas fica aqui um conselho, que pelo menos funciona comigo. Tente modificar um pouco os arranjos dos covers, aproxima-los a sonoridade do seu material autoral, assim quando estiver apresentando suas músicas próprias, não vai ficar tão fora do contexto.
Diferença entre influência e idolatria
Bem, você pode admirar o trabalho de inúmeros artistas já consagrados, mas é muito importante que você crie a sua própria musicalidade. É exatamente isso que vai diferenciar o seu trabalho de outros músicos ou bandas. Você dificilmente vai se destacar no cenário independente imitando outra banda ou artista. Um simples passei por qualquer site de música seja tramavirtual, myspace ou até mesmo Youtube, você encontra centenas, milhares de bandas tentando ser os novos Beatles, Oasis, Stones. Repito, isso dificilmente funciona! Seja uma espécie de esponja, absorva cada uma de suas influências, mas tente digerir um pouco da informação, não copiar.
A eterna "espera por um milagre": Produtores e gravadoras
Muitas bandas e artistas renomados, tiveram a grande sorte de ter um bom agente, empresário ou gravadora administrando seu sucesso. Muitos tiveram, mas isso não significa que vai acontecer com você! A busca por um grande empresário, muitas vezes acaba desgastando uma banda, são releases e mais releases enviados para milhares de endereços que muitas vezes nem respondem ou confirmam o recebimento do seu disco, e se respondem, nada garante que ele vai ser escutado com a devida atenção. O caminho mais seguro para fazer o nome de sua banda, ou o seu próprio nome, é o seu próprio público. Receba bem o pessoal que vai ao seu show, que se interessa pela sua música, eles são os maiores divulgadores do seu trabalho, e fazem isso sem pedir nada em troca, então o mínimo que você deve a eles, é atenção e respeito.
Mandem comentários sobre o texto, sugestões ou coisas do tipo no e-mail antonio_altvater@hotmail.com
Segue abaixo um video bem pertinente ao tema, do produtor musical Rodrigo Itaboray.

Um comentário:

  1. Muito bom o texto, ajuda bastante, é sempre bom ler algo que vá ajudar na carreira independente, adoro esse tipo de assunto, sempre que postar pode ter certeza que estarei lendo.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...